Encontro Franco-Brasileiro de Cinema

O Festival Varilux de Cinema Francês realiza nesta edição e, pela primeira vez, encontros entre profissionais de cinema da França e do Brasil. Entre outros assuntos, serão abordados temas como coprodução internacional, financiamento, regulamentação e mercados do cinema na Europa e no Brasil. Os encontros acontecem em Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro nos dias 4, 6 e 8 de junho, respectivamente, com entrada franca. As inscrições estão abertas e devem ser feitas no site do festival.

Os encontros, destinados a profissionais do setor audiovisual, tem como objetivo reforçar as trocas e encorajar colaborações entre os dois países, assim como promover a capacitação internacional de produtores brasileiros e as possibilidades de inserção dos filmes nacionais nos mercados mundiais. Com mediação de François Sauvagnargues, que possui larga experiência em produção e mercado cinematográfico, os encontros contarão com a participação de uma delegação de profissionais franceses: o diretor adjunto da Unifrance Films, Frederick Beyreziat; do diretor adjunto da ARTE Cinema, Rémi Burah; dos produtores Laurent Lavolé, da Gloria Films; Marie Masmonteil, da Elzévir Films e Gilles Sacuto, da TS Production; de Laurence Gachet, da distribuidora Paname e de Pierre Menahem, da empresa de vendas internacional Still Moving. Haverá também participação de palestrantes brasileiros do setor, diferentes em cada cidade.

As inscrições, para se candidatar a uma vaga, podem ser realizadas até 1 de junho por meio do formulário abaixo.

Com número restrito de vagas, o candidato tem que esperar confirmação por email de sua inscrição.


Frédéric Bereyziat

Frédéric Bereyziat entrou na UnifranceFilms em 2015 para assumir o cargo de Diretor Geral Adjunto. Sua carreira, começada no Conseil d´Etat em 2004, passou pelo Ministério dos Assuntos Exteriores (o Itamaraty francês) e pelo CNC (Centro Nacional do Cinema), como diretor internacional.

 

Gilles Sacuto

Diretor de produção de 1990 a 1995 de 12 longas-metragens e filmes de TV (entre os quais O Odio de Mathieu Kassovitz, Night on Earth de Jim Jarmush e La Vie de Bohème de Ari Kaurismaki), Gilles Sacuto integrou a produtora TS Productions em 1996, com Miléna Poylo. Le Bleu des Villes, primeiro longa, produzido em 1996, marcou o começo de uma longa e frutuosa colaboração com o cineasta Stéphane Brizé. Com a TS Productions, Gilles Sacuto produziu aproximadamente 30 longas-metragens de autor, distribuídos com sucesso na França e no estrangeiro. Gilles assumiu o cargo de Presidente da seção Longa-Metragem no Sindicato dos Produtores Independentes (SPI) de 2014 a 2017, foi membro do Comitê Executivo da UnifranceFilms e Membro do CNC (desde 2015). Ele é também palestrante na prestigiosa escola FEMIS.

Rémi Burah

Rémi Burah começou sua carreira como banqueiro no setor audiovisual e trabalhou na produtora Haut et Court durante 8 anos. Ele está na ARTE France desde 2001, onde produziu grandes cineastas entre os quais: Wim Wenders, Lars Von Trier, Wong Kar-wai , Michael Haneke, Patrice Chereau, Aki Kaurismaki, Mathieu Amalric, Hou Hsiao Hsien, Luc e Jean-Pierre Dardenne. Dirige também a Sofica ARTE Cofinova e o fundo Arte Kino.

 

Laurence Gachet

Laurence Gachet trabalhou nas distribuidoras Gemini, Pyramide e MK2, antes de criar e dirigir a distribuidora independente Paname, em 2013, junto com Jean Hernandez. Entre numerosos filmes de todos os países, a Paname distribuiu o aclamado filme brasileiro Aquarius de Kleber Mendonça Filho.

 

Laurent Lavolé

Laurent Lavolé se formou pela prestigiosa escola FEMIS. Em 1994, criou Gloria Films, produtora independente de filmes de todos os países, muitos deles em co-produção. Em 2017, produziu Nothingwood (Sonia Kronlund), selecionado na Quinzaine des Réalisateurs em Cannes e os documentários Belinda (Marie Dumora, apresentado em Cannes e Berlim) e America, de Claus Drexel. Suas duas últimas produções estão em seleção no festival de Cannes 2018: Meu tecido favorito primeira longa do cineasta sírio Gaya Jiji está em Un certain regard e El Motoarrebatedor do cineasta argentino Augustin Toscano, está na Quinzaine des Réalisateurs.

Marie Masmonteil

Marie Masmonteil, atriz e produtora, formada na École Nationale d’Administration (ENA) criou Elzevir Filmes em 1993, com Denis Carot. Entre os filmes produzidos destacam-se Va, vis, deviens (2005), Tous au Larzac (2011), La source des femmes (2011) e Party Girl (2014). Ela também assume o cargo de Presidente do Sindicato dos produtores Independentes na França, desde 2001.

 

Pierre Menahem

Depois de cuidar durante muitos anos das vendas internacionais da Celuloid Dreams, Pierre Menahem fundou a vendedora e produtora Still Moving em 2015, junto com Juliette Lepoutre. Recentemente, adquiriu os direitos internacionais dos filmes Black Frost, do argentino Maximiliano Schonfeld; In The Last Day of the City, do egípcio El Said, e Pendular, o segunda longa-metragem de Julia Murat.

 

PALESTRANTES PARTICIPANDO DO ENCONTRO EM SALVADOR

Bernard Attal

Bernard Attal nasceu na França e mora no Brasil há doze anos. É cineasta e produtor, fundou e coordena o Trapiche Barnabé, o maior Centro de Economia Criativa do Nordeste do Brasil. Em 2013, Bernard lançou nas salas de cinema seu primeiro longa-metragem de ficção, A Coleção Invisível, adaptado de uma novela de Stefan Zweig, que venceu quatorze prémios no circuito internacional dos festivais e foi adquirido por vários canais de televisão no Brasil e na América Latina. Em 2016 finalizou o telefilme de comedia. Está presentemente em fase de pós-produção do documentário Sem Descanso.

Suzana Argollo

Sócia e administradora do Circuito Saladearte. O Circuito é um dos maiores exibidores independentes do Nordeste do Brasil, com uma programação focada em filmes autorais do mundo inteiro. Suzana é responsável pela programação das salas.